Diptheria -Tetanus Toxoids Pediátrica

Esta é uma tradução automática melhorada deste artigo.

Difteria provoca problemas respiratórios através de uma camada grossa no nariz, garganta e vias respiratórias. Isso pode levar a problemas respiratórios, paralisia, insuficiência cardíaca e até morte.

O tétano também conhecido como músculos causam lockjaw para apertar em todo o corpo.

 Quando afeta a mandíbula que não vai permitir que a vítima a abrir a boca ou engolir. 1 em cada 10 pessoas morrem de tétano.

Diptheria se espalha de pessoa para pessoa, enquanto o tétano entra no organismo através de cortes ou feridas. As principais metas para esta vacina são as crianças de 2 meses a 5 anos de idade. A vacina não irá tratar uma infecção já presente no corpo.

O vacciness não contém quaisquer formas mortas das bactérias, mas sim uma proteína do antigénio que lhe causa corpo para desenvolver imunidade contra as bactérias. Esta vacina também chamado DT é para crianças entre 6 meses e 6 anos. Geralmente deve ser feita antes do 7º aniversário.

Tal como acontece com muitas outras vacinas a dose de reforço não deve ser administrado se a pessoa já teve uma reacção alérgica ao primeiro tiro. O risco de efeitos colaterais com esta vacina é muito baixo. Se infectar com uma das doenças que previne contra, é muito mais grave e fatal. Ajuda médica de emergência deve ser procurado se você tiver um dos seguintes sintomas: urticária, dificuldade em respirar, inchaço da língua, garganta, face ou lábios.

Os efeitos secundários graves incluem: sonolência extrema, desmaio; pieguice, irritabilidade, choro por uma hora ou mais; apreensão (black-out ou convulsões); ou febre alta.

Menos graves efeitos secundários incluem: vermelhidão, dor, sensibilidade ou inchaço no local onde foi dado o tiro; febre baixa: fussiness leve ou chorar; dor de cabeça ou cansaço; dor nas articulações, dores no corpo; perda de apetite; ou náusea leve, diarréia ou vômito.

anos, corpo, criança, dadas, difteria, meses de idade, pediátricos, tétano, tiro, toxóides, vacinas